• Caravana de Luz - FECL

parabéns pra você!



A vida é um presente divino que deve ser comemorado diariamente. O mergulho no planeta Terra, por meio da reencarnação, é, sem dúvida, uma oportunidade valiosa que não pode ser menosprezada. Em momentos de tristeza, é muito comum confundirmos reencarnação com castigo, o que nos afasta da esperança e da oportunidade de crescermos espiritualmente. Já em tempos de alegria, igualmente preciosos para nosso engrandecimento moral, muitas vezes nos perdemos na ilusão e passamos a confundir reencarnação com passeio de férias e a caminhar relaxados diante dos compromissos espirituais.


É por isso que a dinâmica da vida segue uma alternância natural entre momentos de alegria e de tristeza, cabendo-nos aproveitar as oportunidades ilimitadas de aprendizado que esses momentos encerram.


Como espíritas, precisamos caminhar cônscios dos objetivos da reencarnação e do belo presente que temos em mãos. A celebração de um aniversário pode ser uma bela oportunidade para relembrarmos, junto aos nossos filhos, a benção da vida e homenagear o lugar da criança na família e no mundo em geral.





1. HISTÓRIA DE ANIVERSÁRIO


Compartilhamos com você uma bela história de aniversário que pode ser usada com crianças entre 3 a 7 anos. Trata-se de uma adaptação da história de aniversário Waldorf, que carrega muitas metáforas sensíveis sobre o retorno ao plano físico, valorizando nossas origens espirituais. Destacamos, nesta versão, o protagonismo de uma figura, às vezes por nós esquecida: o Anjo Guardião.


Essa história é para ser contada no dia do aniversário pelos pais, com todos reunidos ao redor do bolo. Pode anteceder ao tradicional parabéns ou mesmo substituí-lo. Aqui apresentamos um modelo que foi criado para uma criança de 6 anos. A história está dividida em dois momentos: o primeiro narra, de maneira metafórica, a preparação do Espírito para sua jornada reencarnatória; o segundo é uma espécie de resumo dos principais aprendizados e eventos significativos da vida da criança, ano a ano. Cada família pode fazer as adaptações que desejar, tornando a história mais atrativa e compreensível para as crianças mais novas.



HISTÓRIA


1ª PARTE


Há mais de seis anos, Maria não estava aqui na Terra. Ah não! Ela estava no plano espiritual com seu Anjo da Guarda. Ela teve um tempo muito importante lá. Ela teve tempo para pensar! Pensou sobre como a vida é linda e em como as estrelas são tão brilhantes e belas. Pensou em como ela se sentia feliz por existir! E Maria também teve tempo para sonhar! Sonhou com um mundo cheio de borboletas e de flores. Mas ela gostava mesmo era de sonhar com as coisas boas que poderia fazer para “enfeitar” seu coração.


(Neste momento, quem conta a história pode colocar no bolo símbolos das coisas boas que poderiam representar os “enfeites do coração” – veja o anexo “tags para bolo de aniversário” ao final deste post). Aqui destacaremos o amor, mas a família pode optar pelas virtudes que desejar. Esclarecemos que “a virtude, em seu mais alto grau, comporta o conjunto de todas as qualidades essenciais que constituem o homem de bem” – ESE, cap. XVII, item 8: A Virtude. Sugerimos trabalhar com as crianças as seguintes qualidades essenciais: bondade, caridade, trabalho, moderação e modéstia. Assim, a cada qualidade colocada no bolo, a pessoa que conta a história poderia dizer: “Maria achava que a bondade poderia deixar seu coração muito bonito! Mas ela também quis enfeitá-lo com a caridade, com o trabalho etc.”. O significado de cada uma dessas qualidades pode ser trabalhado pelos pais ao logo da semana que sucede o aniversário.)



Seu sonho mais bonito foi com o amor! Sonhou com o amor pelos bichinhos, amor pelas pessoas, amor por si mesma e amor a Deus.

Um dia, o Anjo da Guarda de Maria deu a ela uma bola de luz azul. Maria adorava brincar com sua bola azul brilhante. Ela podia jogá-la para o alto e pegá-la novamente e podia jogá-la de uma mão para a outra, sem deixá-la cair nem uma vez. Então, um dia, quando Maria estava com um humor muito misterioso, quis ver o quão longe poderia jogar aquela bola azul. Então Maria pegou a bola, sentiu seu peso entre as mãos, mirou e jogou a bola o mais longe que pôde. Bem, ela jogou tão longe que a bola desapareceu de vista. Maria procurou aqui, ali e em toda parte, mas a bola não estava em lugar nenhum.

Mas então, de repente, Maria viu algo brilhando entre as nuvens e eis que lá estava sua bola azul brilhando como nunca. Quando ela estendeu a mão para pegá-la, as nuvens se separaram e Maria viu algo lindo. Ela avistou a Terra e de lá viu oceanos e montanhas, céu azul e árvores, pequenos e grandes animais de muitas cores...

Quando olhou ainda mais perto, viu uma pequena casa amarela, com um belo jardim de frente e lindas azaleias com flores cor de rosa. (Neste momento, os pais devem adaptar a história de modo a descrever a casa onde moram). Dentro da casa viu um homem, de olhos castanhos, tranquilos, lendo um livro e uma mulher sentada na varanda cantando:

– Oh, como eu ficaria feliz se uma criança viesse até mim. (Neste momento, os pais podem criar uma pequena melodia para simular o canto da futura mãe).

Assim que Maria viu o homem e a mulher, ela quis voltar à Terra para estar com eles, para ser sua filhinha. Então disse para seu Anjo da Guarda:

– Posso vir morar com eles?

– Sim! – respondeu o Anjo – pode, sim. Mas, primeiro, faremos uma longa caminhada... Pegue minha mão. (Essa longa caminhada simboliza a missão do Espírito Protetor que é “a de um pai sobre seus filhos: conduzir seu protegido no bom caminho, ajudá-lo com seus conselhos, consolá-lo em suas aflições, sustentar sua coragem nas provas da vida” – LE, pergunta 491).

Primeiro, Maria e seu Anjo da Guarda visitaram a casa do Sol. O Sol deu à Maria o dom da CORAGEM e colocou-a em seu coração.

– Essa coragem – disse o Sol – vai dar a você força, quando a vida ficar difícil.

Maria agradeceu ao Sol e, em seguida, eles visitaram a casa da Lua. A Lua deu à Maria o dom da SABEDORIA e colocou-a sob cada um de seus pés. Parecia um par de chinelos macios.

– A sabedoria – disse a Lua – irá guiá-la pelo caminho do bem.

Maria agradeceu à Lua. Em seguida, eles passaram por muitas, muitas estrelas e cada uma piscou para Maria enquanto ela passava. Então, uma estrela muito especial, que ainda brilha nos céus todas as noites, tocou-a levemente nos olhos e disse:

– Aqui está o presente do brilho em seus olhos, para que você possa sempre ver a alegria da vida.

Maria agradeceu a estrela. Em seguida, o Anjo da Guarda de Maria a conduziu pelos Portões Estrelados até a Ponte Arco-íris. O Sol, a Lua e as estrelas cantaram seu nome.

– Lembre-se, eu sempre estarei com você durante sua jornada na Terra – disse seu Anjo da Guarda.

Em seguida, Maria deslizou sobre a Ponte Arco-íris e caiu em sono tranquilo. Ela adormeceu...

Uma jovem gentil, com um belo sorriso e olhos castanhos calorosos, pegou a criança pequena e a colocou em um lugar especial sob seu coração, onde ela a carregou por muitos dias e muitas semanas e muitos meses até que, um dia, ela segurou uma linda menina em seus braços.

–Veja! – disseram sua mãe e seu pai – ela é o presente mais lindo de que Deus poderia nos dar. Vamos chamá-la Maria, pois esse é o melhor nome para ela.



(A segunda parte trata dos principais aprendizados e eventos significativos da vida da criança. Os pais podem enriquecer este momento da história associando-o a fotos da criança que ilustrem o que está sendo narrado)



2ª PARTE


Durante seu primeiro ano na Terra, Maria aprendeu a fazer muitas, muitas coisas! Ela aprendeu a sorrir e a rolar, depois aprendeu a sentar-se sozinha e, mais tarde, a se levantar para ficar de pé. Ela sempre foi muito alegre e estava sempre sorridente! Adorava ouvir sua mãe cantar e seu brinquedo favorito era um cachorro de pelúcia vermelho que tocava música. Então o bebê, que não era mais tão pequenino, completou o primeiro aniversário. Maria fez um ano de idade.


(Neste momento, aquele que conta a história deve acender a primeira vela do bolo. Veja como ele vai ficar no final da história.)



Bem, durante o ano em que Maria tinha um ano de idade, ela aprendeu a fazer muito mais coisas. Ela deu os primeiros passos quando tinha 13 meses. Também disse sua primeira palavra que foi "bola", mas saiu soando mais como "boba". Ela gostava de adormecer no colinho do vovô, que cantava músicas de ninar. Então, depois de outra viagem ao redor do Sol, Maria fez outro aniversário e completou dois anos.


(Neste momento, aquele que conta a história deve acender a segunda vela do bolo)


Durante o ano em que Maria tinha dois anos, fez sua primeira viagem à praia. Ela gostava de pular as ondas do mar e de fazer bolos de areia. Neste ano, foi para a escola com muita alegria! Ela adorava o tempo que passava com seus coleguinhas! Maria, em casa, passava muito tempo brincando com seus bichinhos de pelúcia e, à noite, antes de dormir, gostava de ouvir as histórias que a mamãe contava. Neste ano, ela visitou o zoológico pela primeira vez com a vovó. Então Maria fez outro aniversário e agora tinha três anos.


(Neste momento, aquele que conta a história deve acender a terceira vela do bolo)


Durante o ano em que Maria tinha três anos, ela passou a frequentar as aulas de Evangelização Espírita. Sempre mostrou ser muito carinhosa e adorava dar abraços em todos da família. No parque, ela andou de roda gigante pela primeira vez com suas tias e comeu seu primeiro algodão doce! Foi nesse ano que iniciou as aulas de natação, que ainda adora e continua a fazer. Então, Maria fez outro aniversário, completando quatro anos.


(Neste momento, aquele que conta a história deve acender a quarta vela do bolo)


Quando Maria tinha quatro anos, foi capaz de nadar sem boia. Ela adorava fazer desenhos e inventar histórias. Então, Maria fez outro aniversário completando cinco anos.


(Neste momento, aquele que conta a história deve acender a quinta vela do bolo)


Bem, durante o verão em que Maria tinha cinco anos, ela aprendeu a andar em sua bicicleta com rodinhas. Ela também aprendeu a subir em uma árvore sozinha e a fazer bolo de chocolate. Na escola, gostava de contar histórias de conto de fadas para seus colegas. No outono, quando ainda tinha cinco anos, aprendeu a orar o “Pai Nosso”.


Hoje é 20 de fevereiro e Maria está novamente comemorando um aniversário! Ela está fazendo 6 anos e é muito amada por nós!


(Neste momento, aquele que conta a história deve acender a sexta vela do bolo)



DICAS PARA DEIXAR ESTE MOMENTO AINDA MAIS ESPECIAL:



1) Crie um ambiente especial para contar a história de aniversário. Coloque flores naturais em um vaso ou utilize as plantinhas que já tem em casa para criar uma decoração que aproxime a criança da beleza natural criada por Deus. Simplifique e enfeite a mesa com o que a família já tem de bonito no lar!




2) Tente presentear a criança com algo feito em casa com a ajuda dos irmãos. Pode ser um objeto para decorar o quarto, um enfeite de cabelo ou um brinquedo artesanal. Um cartão de aniversário especial, com pensamentos sobre o ano anterior de vida do aniversariante, também pode ser algo muito especial e emocionante para criança!



3) Na noite anterior, os pais podem se permitir recordar juntos o dia do nascimento da criança, rever fotografias, ouvir música bonita! Podem transformar este momento em um pequeno hábito espiritual familiar a ser realizado anualmente. A oração pelo bem maior da criança é um dos mais belos presentes que os pais podem ofertar. Então, seria maravilhoso orarem juntos pelo seu(sua) filho(a), rogando a Deus inspiração para orientá-lo(a) no bem.




2. VARAL DE BENÇÃOS



As palavras amorosas, tanto escritas quanto faladas, são catalisadoras de forças e de sentimentos superiores. Podem transformar-se em bênçãos que produzem efeitos sublimes e benfeitores.


A proposta do “varal de bênçãos” é justamente criar um espaço no lar para a manifestação intencional de palavras de amor. A ideia é, dias antes do aniversário, estender um varal em um cantinho bem acessível a todos da casa. Três a quatro dias antes, parece ideal! A cada dia, os pais da criança devem providenciar pequenos recadinhos de amor para o(a) futuro(a) aniversariante e convidar os demais filhos a participarem da atividade, oferecendo à(ao) irmã(ão) pequenos presentes de carinho e afeto por meio de desenhos, recortes ou dobraduras.


O varal também pode ser montado no dia anterior ao aniversário, de modo que a criança desfrute dessa bela surpresa ao acordar e aproveite de seus recadinhos como alguém que desembrulha presentes! Também é valido deixar objetos que pertenceram à criança quando bebê, objetos que possam simbolizar o quanto ela é querida e amada pelos pais.





ANEXOS


Tags bolo de aniversário
.pdf
Download PDF • 568KB

#parabésnpravocê; #dicascovid19; #evangelizaremcasa; #hábitosespirituais; #reencarnação; #anjodaguarda; #aniversário; #históriadonome; #oquefazernaquarentena; #famíliaeespiritualidade; #família; #evangelizaçãodacriança; #FECL; #FraternidadeEspíritaCaravanaDeLuz;



Posts recentes

Ver tudo